Domingo, 12 de Outubro de 2008

Cais de Rio de Moinhos

O Cais de Rio de Moinhos, concelho de Abrantes, foi reconstruído há precisamente 105 anos e vai fazer o seu aniversário no dia 28 de Novembro.

Embora se saiba que antes das cheias de 1902, o cais estava feito em madeira. Terá uma história de pelo menos 500 anos.

 

Na sua história local, Rio de Moinhos sempre viveu e sobreviveu do comércio marítimo e dos moinhos de água que se encontrem espalhados pela Freguesia.

O Rio Tejo está cheio de histórias, tendo contribuindo para a construção de uma cultura própria: a cultura do Tejo – as gentes ribeirinhas, as embarcações, os pescadores, os arrais, os calafates, etc.

Durante séculos, o Tejo foi a principal via de comunicação do país.

O Cais era considerado um ponto de encontro por onde passavam produtos da época que eram transportados até Lisboa. Nele construíram-se barcos chamados “Varinos” que podiam atingir às 60 toneladas.

A partir dos anos 50, o Cais começa a ser abandonado e esquecido pelos seus habitantes assim como o Rio Tejo.

A Junta de Freguesia de Rio de Moinhos não quer deixar passar em branco as suas origens mas quer sobretudo realçar aquilo que os nossos antepassados fizeram e defenderam – o Rio Tejo.

Viajar hoje, no Rio Tejo fica a saudade, a memória, a aventura, a descoberta do passado e o recreio.

Por isso, o executivo desta Junta elaborou no ano de 2002 através da TAGUS (Associação para o desenvolvimento do Ribatejo Interior) um projecto para valorizar e revitalizar o Tejo, as suas margens e sobretudo o seu Cais.

O orçamento previsto era de 22 mil contos (110 mil euros). Havia um financiamento da Tagus entre 60 a 75% a fundo perdido.

Até hoje - nada, apesar a persistência da Junta de Freguesia da altura.

O projecto foi apresentado à CMA e foi colocado na gaveta.

Porquê? Não terá sido por falta de dinheiro.

A CMA teria de entrar com aproximadamente com uma verba de cerca de 10 mil contos (50 mil euros). Nada fez e esqueceu simplesmente.  

Os diversos executivos das Junta de Freguesia gostariam de ter recuperado este património deixado pelos nossos antepassados, dando-lhe o destaque que merece mas o avultado orçamento ser muito grande só coloca a hipótese de ser com a ajuda da autarquia abrantina.

No dia 28 de Novembro de 2003 aquando do centenário do Cais, o executivo da Junta (orientada pelo Sr. Manuel Pires) realizaou uma missa campal a fim de homenagear os marítimos vivos assim como os falecidos.

 

 

O executivo da CMA foi convidada mas ninguém apareceu.

O povo, de uma forma exemplar, assistiu a missa celebrada pelo Monsenhor Carvalheira.

Eu fiz a reportagem no jronal de Abrantes e ninguém fez nada nem mesmo as pessoas da freguesia que poderiam ter pressionado o executivo a fazer uma intervenção no nosso Cais de Acostagem.

 

No entanto, hoje os tempos são outros e estamos há um ano do final deste mandato autarquico e no programa eleitoral do PS está lá escrito o seguinte:
- Valorização o Cais ribeirinho de Rio de Moinhos

 

Este executivo assim como o cidadão Vítor Sobreiro já abordaram o Sr. Presidente da Câmara Municipal de Abrantes sobre a recuperação do Cais e a resposta não se fez esperar:

- Sabem com esta coisa da barragem, ainda não se sabe se vai ser ou não construída, por isso não se pode avançar sem termos a certeza .... 

Conseguiu arranjar mais uma desculpa para não realizar esta obra de grande importância para a freguesia.

Viste o executivo já estar a elaborar o próximo orçamento, solicito aos leitores a máxima atenção a partir dessa altura para que haja neste último orçamento um averba destinada para a valorização do nosso cais, por isso: 

Apelo a boa vontade do povo da freguesia e outros para que todos juntos, possámos pressionar Nelson de Carvalho a fim de ele concretizar a sua promessa eleitoral e podermos no próximo verão passear e usufruir de um património lindíssimo e tão importante para a nossa freguesia e ter o Rio Tejo virado novamente para as pessoas.

 

Temos o direito de exigir que se faça cumprir aquilo que ele prometeu.

Devemos pressionar à Câmara Municipal de Abrantes.

Como?

Cada um pode escolher a forma que entender - nos cafés; nas reuniões de Câmara (terças-feras às 9h); na Assembleia Municipal de Dezembro; através de carta dirigida à CMA, aos vereadores; através deste blog ou do site da CMA; comunicação social etc. ...

 

RIO DE MOINHOS PRECISA DE TODOS

 

Espero que o esquecimento de 2002 não se repita e que todos juntos, possámos lutar na mesma direcção.

Nada de jogos políticos mas sim, a defesa do nosso património arquitectónico e histórico

O CAIS DE RIO DE MOINHOS


 

Perderei a minha utilidade no dia em que abafar a voz da consciência em mimMahatma Gandhi.

tags:
publicado por riodemoinhos às 23:39
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008

O porquê das coisas ...

Após anos e anos de "Democracia" as pessoas estão fartas de promessas e estão desgostosas com a política.

E não só ...

Os falsos políticos que se dizem de esquerda ou direita são cada mais infelizmente.

Não critico os políticos que defendem um caminho ou outro mas sim aqueles que utilizam a política para ter isto e aquilo à custa do Povo.

Explicando melhor, fazer política para servir o povo e não fazer política para se servir.

Não é por acaso que a abstenção aumenta cada vez mais.

Porque será?

É para esses ditos políticos e mais alguns que eu falo e dirigo estas palavras.

Fazer política com seriedade e honestidade e não com joguinhos partidários para colocar aquele ou o outro nesta ou aquela posição. 

Alguns dirão - este francíu vem de outro planeta e não sabe o que diz.

Talvez, mas as pessoas estão cada vez mais a afastar-se da política.

Esta forma de fazer política está gasta.

Precisa-se urgentemente de pessoas verdadeiras que façam participar a população, dando responsabilidades, criando parcerias com objectivos bem definidos, avaliando os resultados e voltar a reestruturar outros projectos tendo em conta os aspectos positivos dos anteriores e tentar não repetir os erros cometidos.

As pessoas devem participar na vida das autarquias locais, conhecer os seus problemas e as suas dificuldades. Ajudar a planear o futuro.

Digo isto, porque actualmente muito poucas pessoas participam e deixam os eleitos decidir o que querem e como querem, porque sempre foi assim - esta forma está errada e mais que errada!

Não pode ser assim.

Os políticos são seres humanos que erram como nós todos, são sempre apontados por isso ou por aquilo.

Mas devemos acabar com os maus (aqueles que se servem da política) e ajudar os bons.

Basta de misturar todos os políticos ou todas as pessoas e colocá-los no mesmo saco independentemente se são bons ou maus.

O governo deveria ter acesso e investigar todos os políticos (e não só) deste país sem ter necessidade de uma autorização do tribunal para essa análise e castigar os ladrões.

Quem não deve, não teme.

Quero e desejo que as melhores pessoas estajem nos lugares certos independentemente da sua cor partidária ou até mesmo sendo independente.

Não acredito num mundo onde os maus estão de um lado e os bons do outro.

Acredito sim que existem boas pessoas em todos os partidos políticos.

Por isso, dizer mal de alguém que faz um bom trabalho por causa do seu partido, acho de baixo nível e sem intelegência nenhuma.

Tenho grandes amigos do PCP, BE, PS, PSD e CDS. 

E com eles, alimento fortes amizades e discussões interessantes e saudáveis para uma Democracia aberta a toda a gente.

Se uma pessoa fala ou almoça com um amigo ou conhecido de outro partido é porque ele é, no fundo da mesma cor.

Puro engano!

 

Esta minha afirmação deve-se aos seguintes dados:

Nas eleições autarquicas de 2005, o concelho de Abrantes deparou-se com uma abstenção de 14.634 eleitores, ou seja cerca de 40%.

Este número representa mais 3507 votos do que o PS teve, por isso estaria neste momento no poder.

O descontentamente é geral e infelizmente vai ser cada vez mais.

Temos de reflectir sobre isso e contrariar esta tendência.

Como?

Os Homens da política devem discutir sobre isso e nomeadamente sobre à sua postura e desempenho perante os cidadãos eleitores.

Não podemos lembrar-nos dos eleitores somente 4 meses antes das eleições.

A frontalidade, o respeito, a tolerância, a honestidade, etc. ... são fundamentais e não só ...

 

Basta simplesmente ser verdadeiro

publicado por riodemoinhos às 23:04
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 7 de Outubro de 2008

FESTIVAL DE BANDAS FILARMÓNICAS

No dia 5 de Outubro, a Câmara Municipal de Abrantes através da sua vereadora, a Dra. Isilda Jana, promoveu o primeiro FilarFest do concelho de Abrantes.

Esta iniciativa juntou as quatro Filarmónicas existentes no concelho de Abrantes pela primeira vez.

Uma boa forma de comemorar o dia Mundial da Música. 

O concerto iniciou com a actuação da Sociedade de Instrução Musical Rossiense, seguido da Filarmónica de Educação e de Beneficência Riomoinhense, passando pela Banda Filarmónica Mourisquense e acabando com a Banda Filarmónica Alveguense.

Um espectáculo de duas horas que encantaram os presentes.  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por riodemoinhos às 23:08
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Segunda-feira, 6 de Outubro de 2008

Festival de Folclore em Rio de Moinhos

A Casa do Povo de Rio de Moinhos realizou no Sábado 4 de Outubro, o seu XVII Festival de Folclore.

 

 

Foram convidados 4 Ranchos que desfilaram pela aldeia no início da tarde.

1. Os Moleiros da Casa do Povo de Rio de Moinhos

2. Vila do Conde

3. Martinchel

4. Arreciadas 

Pelas 17 horas, a direcção da Casa do Povo fez a entrega de lembranças aos presentes pela participação neste festival.

O anfitrião inaugurou o palco.

 

 

 

 

 

 

Seguiu-se respectivamente os ranchos folclóricos de Vila do Conde, Martinchel e Arreciadas.

Depois do jantar seguiu-se a actuação de um grupo musical e de um grupo de danças.

 

 

No domingo de manhã, realizou-se uma missa em memória aos sócios falecidos da Casa do Povo

Há poucas semanas, uma nova direcção tomou posse e por isso, está de parabéns por ter organizado esta iniciativa cultural.

Um fim de semana em cheio que animou a aldeia de Rio de Moinhos. 

 

 

FOLCLORE:

É um género de cultura de origem popular, constituído pelos costumes, lendas, tradições e festas populares transmitidos por imitação e via oral de geração em geração. Todos os povos  possuem suas tradições, crendices e superstições, que se transmitem através de lendas, contos, provérbios e canções.   

tags:
publicado por riodemoinhos às 23:02
link do post | comentar | favorito

.A minha filosofia de vida consiste em caminhar até a verdade. O meu caminho, a minha experiencia dependem do meu futuro. De qualquer forma só vou atingir o grau mínimo quando estiver preparado para receber a chave do outro mundo ... do meu mundo... Oxalá

.posts recentes

. Mudança de endereço do bl...

. Magusto em Amoreira

. VESTIGIOS ARQUEOLÓGICOS

. Sr. Mota - última homenag...

. Cemitério de Rio de Moinh...

. São Martinho em Rio de Mo...

. Associação Juvenil Remoin...

. Convite aos cibernautas

. Sr. ÁLVARO SANTOS PEREIRA

. ASSOCIAÇÃO JUVENIL REMOIN...

.arquivos

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

.links

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.pesquisar